quinta-feira, 15 de julho de 2010

Haikai Raízes


Terremoto! Terra ferida! Sulcos abertos!
Profunda fenda sob meus pés.
Raízes expostas sussurram: estás de pé!

Orbital

                                                        

Há uma coisa esquisita que fica no ar
quando a gente não entende o sentido das coisas.
Conjecturas, devaneios, dúvidas, fantasias...
todas elas dão trombadas umas nas outras
quase querendo disputar o espaço majoritário da nossa mente,
sim, aquele espaço que transforma pensamento
em dor do coração, em aperto de alma,
naquilo que o dicionário costuma chamar de angústia...
Mas estou em órbita.
Sinto-me estranhamente leve,
uma leveza surreal, que não se justifica pelo momento em que vivo
que não se apóia no chão movediço sob os meus pés.
É uma leveza triste, mas me desprende desta terra,
me faz desejar estar no céu, 
junto com meu Pai, onde não sentirei mais dor
nunca mais serei desapontada por ninguém
e que cada lágrima que eu verter, 
será enxugada pela terna mão do meu Jesus.
Só ali sei que ouvirei o verdadeiro reconhecimento,
daquele que diz com gosto e alegria,
com franca sinceridade, fitando-me nos olhos
com um maravilhoso sorriso nos lábios:
"serva boa e fiel, desfruta da alegria do teu Senhor"