sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Difícil é subir. "Pra descer todo santo ajuda!"

"O que dizer de 2010?  Xii... Melhor nem tocar neste assunto!"

Cinco dias atrás (26/12) fizemos a "nossa trilha" novamente. Exatamente um ano atrás tínhamos feito o circuito: Restinga da Marambaia - Barra de Guaratiba - Praia do Meio - Praia do Perigoso - Encosta do Picão e Barra de Guaratiba. Desta vez,  ao invés da Praia do Meio, seguiríamos na direção contrária: Praia Funda e  Praia do Inferno. 

(Restinga da Marambaia, vista de uma parte da trilha, ainda na subida)

Estávamos os 5 (Vini, Ju, Leo, Muca e eu), cansadíssimos. Cada um cansado por um motivo diferente. Eu estava mais cansada que o normal. Pela primeira vez na vida vim para um desafio desses contrariando todos os princípios que me foram ensinados no atletismo durante a minha pré-adolescência, desistindo antes mesmo de tentar. Vini e Leo são corredores e Ju já foi dançarina e o Muca é um adolescente cheio de músculos, dançarino de Hip Hop, muito braço e muita perna, apenas muito cheio de sono. Eu, claro, a mais velha da equipe, com o dobro da idade dos demais.

(No início da subida, ninguém tão suado ainda)

Paramos no mercadinho para abastecer a ração pessoal de água, gatorade, redbull, biscoitos e banana (Vinícius estava achando que teria cãibras, preferiu prevenir com o potássio). A trilha era para o alto, mata adentro, por pelo menos uma hora. Subida cheia de pedras, caminho estreito. Chegávamos na parte mais alta da caminhada, depois era só descer por mais uma hora. Felizmente o caminho estava seco, não derrapamos muito. 

(Parte mais alta. Felizes porque pra descer todo santo ajuda!)

Ju estava exausta de uma semana de vendas de natal no trabalho dentro de um shopping e de conflitos de relacionamento que ocorriam  na equipe. Léo estava tão  revoltado com o e-mail que recebera de certa pessoa três dias antes que nem conseguia falar. Muca tinha acabado de acordar, não sabia nem em que planeta ele estava. Vini estava lá, disposto, mas tão triste quanto eu. Que equipe! Nunca estivemos tão parecidos com os "Acadêmicos da Depressão" (Clique aqui) . Vini arrumou esse apelido para nós no ano passado pois somos um bando de nerds, que ficam trancafiados, só sabemos estudar, temos episódios frequentes de comportamento anti-social e esquecemos de viver a vida com muita facilidade. Temos que nos disciplinar para não ficar apenas dando conta dos trabalhos e nos esquecermos de viver.

(Deus é romântico, só pode desenhar um caminho desses sendo muito romântico)

Mas começamos a subida e o contato com a floresta nos fez entrar em comunhão com a grandeza da criação, com o senso de humor divino, com o bom gosto do Criador, percebendo o cuidado dele em cada folha, em cada fruto, em cada teia de aranha. A caminhada começou a exorcisar nossas dores e frustrações. Fomos falando de coisas que nos irritavam tendo as árvores e os pássaros como testemunhas. Eventualmente as cobras também, mas estas preferiram não nos assustar. 

(Folhas fósseis no meio do caminho, perfuradas)

Chegamos à parte mais alta. A praia do outro lado era magnífica, dava vontade de chegar logo. O Redbull e o gatorade estavam fazendo efeito! Descemos com disposição e 40 minutos, depois chegamos à Praia Funda. 

(Chegada à Praia Funda)

No caminho para a Praia do Inferno, tivemos que passar por umas rochas que nos lembravam a "Ilha de Lost". Encontramos as rochas onde morreu "John Locke" e encontramos até "Os Outros". Ficamos por ali, brincando com a imaginação. Pensando no presente de Deus para nós, ao criar lugar tão bonito e especial. O mar estava batendo muito e levávamos um bocado de "caixotes". Sungas e maiôs viraram sacos de areia.Mas o dia estava  perfeito.

(Procurando o corpo de John Locke na "Ilha de Lost")

Depois de explorar a "Ilha de Lost" e de tentar fazer uma breve amizade com "Os outros", resolvemos sentar para comer e conversar. Foi aí que nos demos conta que 2010 havia sido um ano "pedrada" para cada um de nós. Reparamos que nosso cansaço era muito mais emocional do que físico. Cada um de nós tinha sofrido desapontamentos enormes e perdas em várias áreas. Eu mesma tive um ano  muito difícil. Levei bordoada de todos os lados: profissão, família, finanças e afetividade. Léo, Vini, Ju, cada um trazia também sua coleção de tristezas de 2010.

(Sendo capturados pelos "outros", rsrs)

Ali, deitados no chão, sob uma amendoeira com uma convidativa sombra, olhando para o céu, percebemos que o cansaço da subida praticamente desapareceu quando vimos que só restava descer. E ficamos ali, meditando nessas coisas. Contamos da fidelidade de Deus que sempre nos conduz pela mão e nos leva a lugares surpreendentes, muito mais altos do que jamais passou em nossa imaginação.Falei das viradas radicais que estavam sendo feitas por Ele na minha vida nos últimos meses e da forma como o carinho constante e o cuidado de Deus não me abandonaram um dia sequer em 2010.


(abismos entre as pedras - isso era alto! - entre a Praia do Inferno e Praia Funda)

Mesmo com o cansaço da subida, valera muito à pena encontrar aquela linda praia do outro lado, de braços abertos a nos esperar, a nos saudar! Na volta precisamos enfrentar toda a subida de 1:30 novamente. Havia momentos em que a subida parecia muito difícil para todos, até porque a nascente que havia no lugar tinha secado e não pudemos abastecer as garrafas com água para o caminho de volta. Foi então que aprendemos outra lição: com o corpo exausto, com a garganta seca, e sem água, tínhamos que ir mais devagar. Ju olhava para o alto da serra e o desespero estava estampado no rosto dela. Aí eu falei: Ju, sabe qual o segredo? Não olhar para o topo do morro. Você me vê com a cara no chão, praticamente, só olho para os meus pés. Isso porque só presto atenção no próximo passo. Um esforço de cada vez. Assim vou caminhando, subindo, sem sentir o peso da subida. De pedra em pedra, metro por metro da trilha.


(voltando para casa enquanto a panturrilha queima, queima, queima)

Sem água para beber durante a subida e transpirando muito, paramos de falar e fomos subindo, em silêncio, pensando na profundidade daquele momento e na lição que acabáramos de aprender para  superar obstáculos, para atravessar montanhas, mesmo que estivéssemos com as forças completamente esgotadas e com a garganta seca. Assim era também a vida.



Quando percebemos, já estávamos na parte mais alta novamente e só restava descer e éramos só sorrisos. A parte mais difícil já tinha passado, estávamos a caminho de casa, descendo a trilha. Ainda tínhamos mais de 60 km de viagem de carro para podermos nos dar ao direito de tomar "aquele banho". Mas já sentíamos o efeito  daquela higienização mental no nosso humor. Aquele dia na floresta e na praia foi de uma tremenda lavagem emocional, faxina de toxinas do corpo, da pele, da mente e do coração.


2011 já vai começar. Faltam poucas horas. Não sei se para você ele será mais difícil ou mais fácil que 2010. Eu tenho muitos desafios pela frente, mas estou animada com todos eles. Na verdade chego estar eufórica de tanta animação. Quem vê o meu quadro atual deve pensar que sou doida. Perdi praticamente 3 empregos em 2010. Estou subempregada na faculdade que me era mais promissora. Meu salário ali foi reduzido à 8 vezes menos o que eu recebia no primeiro semestre, minha renda total caiu para quase a 10a parte do que era. E o pior de tudo, esse é o único emprego que tenho. 

(segundo o Vini: no flashes, please!)

Passei um dezembro muito extenuante de tensão, procurando emprego novo, criando oportunidades, fazendo projetos educacionais, distribuindo currículos, fazendo contatos, assistindo palestras, palestras e mais palestraas. Tentando tirar leite da pedra. Mas Deus é fiel. Ele já preparou o caminho de glória para mim e para você. No momento oportuno tudo virá à luz, embora ainda não tenhamos muita clareza daquilo que nos aguarda. E quando vier, virá com muita, muita luz.

(Vista completa da Praia Funda)

Uns três meses atrás estava num momento devocional, meditando sobre a bíblia e em oração com um amigo. Estávamos em Petrópolis na varanda de uma pousada onde deixáramos uma amiga minha para descansar por uns dias.  Antes da oração, falávamos das perspectivas de futuro no ministério. De repente uma neblina densa passou entre nós e cobriu a visão de todas as árvores. Lembro que eu falei "a perspectiva que eu tenho sobre o futuro do meu trabalho está tão nebulosa quanto esta cena aqui. Não consigo enxergar um metro além do meu corpo, tamanha a densidade das nuvens. Não tenho a menor ideia do que me aguarda". A sensação que eu tinha era que, se eu desse um passo sequer, para a frente, eu ia cair num abismo e ali me perder completamente. Lembro que ele me deu um abraço e falou: "se não está vendo, é porque não há o que ver agora. Só quando passar, você verá". 


A neblina de 2010 está passando. Densa neblina. 2011 novinho está chegando. E já me aparece, forte, robusto, sorridente, com muitas portas se abrindo. Com sorriso de gente humana, que confia no outro ser humano, que não tem medo de criar oportunidades. Pelo que já vislumbrei aqui da janelinha, será um ano maravilhoso, nunca nas minhas perspectivas mais otimistas eu poderia sonhar com uma paisagem tão linda.

(celebrando o aniversário de 17 anos do Daniel na Vista Chinesa - 27/11/2010)

Se o seu 2010 ainda está nebuloso, lembre-se, faltam poucas horas para ele acabar. A neblina já está passando. Começe 2011 com fé no que está para acontecer, fique de olhos bem abertos, atento às oportunidades. Não deixe que gente depressiva te carregue para baixo, nem te arraste para o buraco negro que elas cavaram para si próprias. Faça o seu caminho nos lugares mais altos, acima das nuvens. Lembre-se: a esperança é aquela que nunca morre!

(Com Samuel na Vista Chinesa)

Deixo com vocês dois versículos. O versículo que marcou meus últimos momentos em 2010 e o versículo que está marcando o meus primeiros passos em 2011. Receba-os como meu presente. Feliz 2011 para você!

(Meus dois herdeiros: Príncipe Daniel e Príncipe Samuel)

Good Bye 2010:
"Viste um homem esforçado no seu trabalho? 
Será promovido ao serviço real; não permanecerá entre chefes obscuros." 
(Pv. 22,29) 

(E o Rio de Janeiro continua lindo! Cidade Maravilhosa dessa "Carioca da Gema")

Wellcome 2011:
"Yahweh, meu Senhor, é a minha força, 
torna meus pés semelhantes aos das gazelas, 
e faz-me caminhar nas alturas"
(Hc 3,19)

Shalom!



quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Time do say goodbye para 2010... este ano passou por mim!


Essas são as fontes do Hotel Fontanna Bellagio em Dubai. 
Há a versão Las Vegas,  linda também mas a filmagem panorâmica é diurna. 
Escolhi Dubai por ser noturna

Música: Time do say goodbye
Interpretada por: Sarah Brightman & Andrea Boccelli

Nem preciso colocar palavras aqui!
Use seus dois sentidos: audição e visão e, simplesmente: sinta!



domingo, 5 de dezembro de 2010

Esperança não é a última que morre, é a que não morre!

Esta semana foi muito singular.

Passei por algumas situações bastante estranhas, que causaram um abatimento profundo no meu coração em  momentos importantes de tomadas de decisão. Ter que tomar decisões quando se está com o "espírito abatido" não é uma boa coisa, pois nos inclinamos a escolher os caminhos que nos causam mais conforto, menos sofrimento, menor possibilidade de nos machucarmos, dor menor. Mas nem sempre esses caminhos são os que nos levarão ao espaço de excelência que desejamos alcançar. 


Não se chega ao topo de montanha alguma sem ralar os joelhos, cotovelos, dedos, sem levar uns belos tropeções, sem sangrar a carne que vai celebrar a vitória. Quando eu lembrava disso, tratava de fazer coisas que sei que me fortalecem a esperança. Mal ela começava a brotar de novo e mostrar seu rosto delicado,  vinha um bem-intencionado, querendo "ajudar", falando algo que me colocava para baixo mais uma vez. Novamente a folhinha era esmagada. Mas ela, teimosa, brotava outra vez e se robustecia. Foi curiosa a quantidade de vezes que isto aconteceu nesta semana. Praticamente  duas vezes por dia! Cheguei contabilizar a coisa, de tão impressionada que fiquei.



Num dos últimos momentos em que este episódio se repetiu eu recebi um boletim com uma mensagem no editorial. Comecei ler sem me preocupar com quem escrevera. E fui levada às lágrimas pelo conteúdo da mensagem. Mais ainda por conhecer a pessoa  que assinou a matéria e aspectos de sua luta pessoal. Trata-se de um amigo, que neste ano de 2010, após ter vencido uma primeira luta contra um certo tipo de câncer, uns 40 dias depois recebeu o diagnóstico de um segundo câncer, e câncer de mama!  Não desejo expô-lo, apenas quero mencionar sua história como a de uma fé consolidada. Exemplo de alguém que entre uma e outra seção de quimioterapia/radioterapia consegue encontrar forças para semear esperança, e escrever palavras como estas, porque nunca permitiu que sua bolsa de sementes ficasse vazia. Transcrevo abaixo uma parte da mensagem que ele escreveu:




"Ainda há esperança... Ao lado do amor, da paixão, da solidão, a esperança tem lugar cativo no coração dos poetas, dos sonhadores. E quem não gosta de sonhar? Dizem que só as crianças e os apaixonados ousam sonhar. Se isto é verdade, quero continuar a ser eternamente criança e um apaixonado pela vida. Ter esperança é poder sonhar. De Fernando Pessoa, poeta luso, temos:


De tudo, ficaram três coisas:
A certeza de que estamos sempre começando.
A certeza de que precisamos continuar.
A certeza de que seremos interrompidos antes de terminar.
Portanto, devemos: Fazer da interrupção um caminho novo.
Da queda, um passo de dança,
Do medo, uma escalada.
Do sonho, uma ponte 
(Certeza - Fernando Pessoa)


Sim. O sonho é a ponte que nos permite atravessar os rios da vida. A única certeza que temos é que a nossa caminhada um dia será interrompida. Quando? Não importa. Gosto do sonhador Jeremias que me faz pensar que vale a pena continuar sonhando: Quero trazer à memória o que me pode dar esperança (Lamentações 3.21)"  (J. M. C. Amaral)


Não há esperança melhor do que aquela de saber que temos um Pai, que de tudo está cuidando, que por nós está zelando e que nada foge ao controle de suas mãos. As perdas que ele nos permite enfrentar, são amostras de sua zelosa pedagogia, que primeiro nos ensina a desapegar, para só então nos pedir. E quando ele pede, a gente entrega. Que luxo um carinho desses, não?

Quero te convidar a ouvir uma música muito interessante, música tradicional do Vale do Jequitinhonha, interpretada por Déa Trancoso. Um Côco composto por Mestre Verdelinho. Nas palavras e na rima, o coração de um agricultor repentista, que sabe que para toda semente há que se reservar o cuidado, mas que mesmo apesar de todo o cuidado, está uma Mão Soberana que "corrige o mundo pelo seu grande poder". É assim o "Ciclo da Vida".

Curtam a música, desfrutem da poesia e pensem! Nada nesta vida é sem sentido, só temos que encontrar o ensinamento ali contido! Clicando aqui no título, vc é levado para um belo vídeo no Youtube que ilustra esta canção.



Nosso Deus corrige o mundo pelo seu dominamento,
Sei o que a terra gira com o seu grande poder,
Grande poder, com o seu grande poder.

A terra deu, a terra dá a terra tira
Homem a terra cria, a terra deu, a terra há.
A terra voga, a terra dá o que tirar.
A terra acaba com toda má alegria.
A terra acaba com o inseto que a terra cria
Nascendo em cima da terra, nessa terra há de viver,
Vivendo na terra, que essa terra há de comer
Tudo que vive nessa terra pra essa terra é alimento
Deus corrige o mundo pelo seu dominamento.
A terra gira com seu grande poder,
Grande poder, com o seu grande poder

Nosso Deus corrige o mundo pelo seu dominamento
Sei o que a terra gira com seu grande poder
Grande poder, com o seu grande poder

Porque no céu a gente vê uma estrelinha
Aquela estrela nasce e se põe às seis horas
Quando é de manhã aquela estrela vai embora
Tem uma maior e tem outra mais miudinha
Tem uma acesa e outra mais apagadinha
Seis horas da tarde é  que pega aparecer
Quando é de manhãzinha ela torna a se esconder
De noite ela brilha em cima do firmamento
Porque Deus corrige o mundo pelo seu dominamento,
A terra gira com seu grande poder,
Grande poder, com o seu grande poder.

Nosso Deus corrige o mundo pelo seu dominamento
Sei o que a terra gira com seu grande poder
Grande poder, com o seu grande poder

O homem planta um rebolhinho de maniva
Aquela maniva com dez dias tá inchada
Começa a nascer aquela folha orvalhada
Ali vai se criando aquela obra positiva
Muito esverdeada, muito linda ,  muito viva,
Embaixo cria uma batata que engorda e faz crescer
Aquilo dá farinha para todo mundo comer
E para toda criatura vai servir de alimento.
Deus corrige o mundo pelo seu dominamento,
A terra gira com o seu grande poder,
Grande poder, com o seu grande poder.

Nosso Deus corrige o mundo pelo seu dominamento
Sei o que a terra gira com seu grande poder
Grande poder, com o seu grande poder.


Shalom!  
P.S.: Recebi um  comentário de uma leitora, há pouco corrigindo a autoria do poema Certeza, não de Fernando Pessoa, mas sim, Fernando Sabino. Como eu transcrevi o poema citado por outra pessoa e a coisa está entre aspas, não posso alterar o texto lá, fica por aqui, então, o corretivo.

sábado, 4 de dezembro de 2010

Haikai: Realização

Presente encara o Passado, consternado por sonhos perdidos,
Pesaroso pede perdão!
Contemplando a estrada da vida, Futuro aplaude Presente, e de pé!