terça-feira, 17 de abril de 2012

Eu ganhei um poema!

Eu vivo escrevendo poesias para outras pessoas. Gosto de fazer. Meus amigos mais próximos, praticamente todos, já ganharam alguma (ou mais de uma, quando ele é querido demais) delas. Até para meus queridos que já se foram eu escrevi poesias e crônicas. É o caso da Erly, que foi babá dos meus filhos e do meu avô Ernani, um verdadeiro pai para mim.

Hoje eu ganhei um poema de uma amiga depois que ela leu um artigo que acabei de publicar na Novos Diálogos intitulado: Que tenho eu contigo, mulher? Uma paráfrase sobre o amor entre mãe e filho. Para acessar o artigo clique no próprio nome

Depois ela me mandou o link para o poema dela. Gente! É muito bom receber poesia!
Dedico a todas as mulheres que não estão na flor da idade, mas na flor da maturidade, e curtindo pra caramba ser madura.

Ivone, muito obrigada pelo presente!
Celebrando meus 7 meses sem pintar o cabelo, curtindo cada fio branco!



Mulher Madura

(Autora: Ivone Boechat)

Esse ar puro oxigenado de maturidade
me dá o aspecto de que já vi tudo na vida
disposta a rever a própria vida.

Este sentimento de mulher humana
me dá o direito de viver feliz,
inspirando segurança,
como se já tivesse tudo o que quis.

Esse jeito felino ou de criança
me dá certeza de ser forte como nunca,
agarrada nos braços da esperança.

Essa determinação de chegar faceira,
sem ter que explicar nada nem dizer porque,
me dá sensação de estar no auge da vida,
a vida inteira.